segunda-feira, 9 de julho de 2012

E se... I - Tramway da Cantareira

Mapa da CPTM, imaginando como seria com a Linha Tronco e o Ramal de Guarulhos, do Tramway da Cantareira, ainda ativas.
E se o Tramway da Cantareira não tivesse sido fechado?
O Tramway da Cantareira foi construído em 1893 com o mesmo propósito da EF Rio de Ouro no Rio de Janeiro, que era atender o serviço de capitação de água na Serra da Cantareira, e levá-la até o centro de São Paulo, através de adutoras. Começava no Parque Dom Pedro II, e margeando o Rio Tamanduateí até certo ponto, entrava na atual Avenida Cruzeiro do Sul, cruzando o Rio Tietê, e fazendo algumas curvas até chegar na serra. Havia também alguns ramais, entre os quais o Ramal de Guarulhos, que chegava até a Base Aérea de Cumbica. Tinha bitola de 0,60 m, e 12 estações e paradas na linha tronco.
Em 1941 foi incorporado a Estrada de Ferro Sorocabana, que modernizou um pouco a linha, que ainda o perava com locomotivas a vapor e carros de passageiros de madeira. Em 1947, a bitola no trecho Tamanduateí - Areal e no Ramal de Guarulhos foi alargada para 1,00 m, e chegaram algumas locomotivas diesel-elétricas Cooper-Bessemer, além dos carros de passageiros de aço, fabricados pela própia EF Sorocabana em Sorocaba. Também nesse ano foi inaugurada a estação terminal do Ramal de Guarulhos, dentro da Base Aérea de Cumbica. Em 1959 o resto da linha também teve a bitola ampliada.
Em 1964 foi extinta a Linha Tronco (Tamanduateí - Cantareira), ficando em atividade apenas o Ramal de Guarulhos, que saía de Areal, a estação seguinte de Tamanduateí. Em dezembro desse ano, por conta de um desabamento na linha, os trens passaram a sair de Carandiru, após Areal, até em 1965 toda a linha foi fechada, e a maioria das estações demolidas. Mais tarde, nos anos 70, a Linha 1 do metrô utilizou uma parte do percurso do Tramway da Cantareira, entre Areal e Santana na Linha Tronco e o Ramal de Guarulhos até Parada Inglesa, alguns anos mais tarde. 
Mas, e se o Tramway da Cantareira não tivesse sido fechado? Certamente, a Linha Tronco, mais cedo ou mais tarde seria desativada, por ter curvas fechadas e porque na época, aquela parte da cidade não ser tão habitada como é hoje. Mas o Ramal de Guarulhos não, justamente por servir muitos bairros da Zona Norte e grande parte de Guarulhos. Seu ponto final era na Base Aérea de Cumbica, onde nos anos 80 seria construído o Aeroporto Internacional de São Paulo. Toda essa região, até hoje não é servida por nenhuma linha de metrô. Em 1971 a linha seria incorporada à Fepasa, e juntamente com as outras duas linhas de subúrbio da EF Sorocabana, provavelmente teria sua bitola alargada para 1,60 m e teria sido eletrificada, onde rodariam os TUEs Francorail ou Cobrasma. Em 1994 seria incorporada a CPTM, onde hoje poderia ser chamada de Linha 13, talvez.
Mas, infelizmente, a ferrovia foi desativada, e quase nada sobrou, e a região ainda não tem uma linha de metrô.
Tramway da Cantareira nos últimos tempos de operação, com carros de aço e locomotivas diesel-elétricas.

And if the Tramway Cantareira had not been closed?
The Cantareira Tramway was built in 1893 for the same purpose Rio de Ouro Railway in Rio de Janeiro, who was attending water capitation services in the Serra da Cantareira, and take it to the center of Sao Paulo through mains. It started in the Parque Dom Pedro II, and bordering the Rio Tamanduateí to some extent, entered in the current Southern Cross Avenue, crossing the Rio Tiete, and making a few turns until you reach the mountains. There were also some extensions, including the Extension of Guarulhos, which came to the Cumbica Air Base. Gauge was 0.60 m, and 12 stations and stops the trunk.
In 1941 was incorporated into Sorocabana Railroad, which modernized the line a bit, that still perava with steam locomotives and wooden passenger cars. In 1947, the gauge on the stretch Tamanduateí - Areal and Guarulhos branch was extended to 1.00 m, and reached some diesel-electric locomotives Cooper-Bessemer, and passenger car steel, manufactured by Sorocabana Railway in Sorocaba. Also that year the station was inaugurated Terminal Extension of Guarulhos, in the Cumbica Air Base. In 1959 the rest of the line also had the gauge enlarged.
In 1964 it was extinct Trunk Line (Tamanduateí - Cantareira), leaving only the active branch of Guarulhos, out of Areal, the next season of Tamanduateí. In December of that year, because of a landslide on the line, the trains went out of Carandiru, after Areal, until in 1965 the entire line was closed and demolished most of the stations. Later in the 70s, the first subway line drawn on some of the Tramway route Cantareira between Areal and Santana Row in the trunk and branch Guarulhos to stop English, some years later.
But what if the Tramway Cantareira had not been closed? Certainly, the Trunk Line, sooner or later to be disabled, because he turns and because at the time, that part of town is not as populated as it is today. But the branch Guarulhos not just to serve many neighborhoods of North and much of Guarulhos. His final point was in Cumbica Air Base, where the 80 would be built in the International Airport of Sao Paulo. This entire region, today is not served by any subway line. In 1971 the line would be incorporated into Fepasa, and along with the other two lines of Sorocabana suburbs, its gauge would probably have extended to 1.60 m have been electrified, which would run the TUEs Francorail or Cobrasma. In 1994 it incorporated the CPTM, which today might be called Line 13, maybe.
But unfortunately, the railroad was disabled, and almost nothing was left, and the region does not have a subway line.

Nenhum comentário:

Postar um comentário