sábado, 9 de fevereiro de 2013

As Ferrovias no Litoral Norte de SP (Sim, Existiram...)

Davenport e vagão, da ferrovia interna da Fazenda dos Ingleses, em Caraguatatuba.
Durante muito tempo sonhou-se com uma ferrovia que ligasse o Litoral Norte com o resto do país. Vários foram os projetos, os mais importantes sendo o da Mogiana da linha entre Amparo e São Sebastião, e o da Central entre Suzano e São Sebastião. Mas nunca existiu de fato uma ferrovia no Litoral Norte de São Paulo, exceto as ferrovias bananeiras (estas em grande número e presentes em todo o litoral paulista). 
Sem dúvida alguma, essa misteriosa ferrovia seria a descoberta mais interessante e intrigrante da história ferroviária brasileira. Pergunto: Será que existem as obras-de-arte? Como seria o material rodante? Existiria alguma locomotiva perdida pela região? As estações realmente chegaram a serem construídas? Há muito o que estudar, muito material a ser investigado.
For a long time dreamed up with a railroad that linked the North Shore to the rest of the country. Several of the projects, the most important being the Mogiana line between Amparo and San Sebastian, and between the Central and Suzano São Sebastião. But there was never really a railroad on the north coast of São Paulo except railways banana (these in large numbers and present throughout the coast of São Paulo).
Undoubtedly, this mysterious railroad would be the most interesting discovery and intrigrante Brazilian railway history. My question is: Are there works of art? How would the undercarriage? Is there any locomotive lost by region? The stations really got to be built? There's a lot to consider, much material being investigated.
Notícia publicada no jornal regional "O Vale":
News published in the regional newspaper "The Valley":

Taubaté resgata história de ferrovia para Ubatuba


Guilherme Makowsky com Pedro Rubin em trecho da ferrovia. Foto: Rogério Marques.
Parceria prevê documentário e cartilha sobre ferrovia nos mesmos moldes do Caminho do Ouro
Simone Gonçalves

Taubaté

A partir de uma parceria para atividades e pesquisas culturais entre Taubaté e Ubatuba, a Câmara de Taubaté quer refazer o histórico de uma ferrovia de 1890. O levantamento de informações sobre ela será a primeira ação desenvolvida no projeto de cooperação entre os municípios. Um convênio para selar a parceria será firmado em janeiro.
O trabalho será conduzido pelo Memorial da Câmara de Taubaté e contempla o levantamento histórico da ferrovia para a elaboração de documentário, material impresso, como cartilha ou guia, e divulgação em plataforma digital.“Queremos trazer à tona essa ligação entre Taubaté e Ubatuba, que é umbilical”, disse Pedro Rubim, pesquisador do Memorial. O levantamento seguirá os moldes do realizado este ano para resgatar um Caminho do Ouro entre Taubaté e Paraty (RJ) --proposta que está em fase final de elaboração. 
From a partnership to research and cultural activities between Taubaté and Ubatuba, the Board of Taubaté wants to remake the history of a railroad in 1890.The collection of information about it will be the first action project developed in cooperation between municipalities. An agreement to seal the partnership will be signed in January.
The work will be conducted by the Memorial Chamber of Taubaté and reflects the historical survey of the railroad to the development of documentary film, printed material such as guide or primer, and dissemination in the digital platform."We want to bring out the connection between Taubaté and Ubatuba, which is umbilical," said Peter Rubim, a researcher at Memorial.The survey will follow the templates done this year to redeem a Gold Road between Taubaté and Paraty (RJ) - a proposal that is in the final stages of development.

Pesquisa. A ferrovia escolhida para a nova pesquisa é envolta em dúvidas, polêmica e desconhecimento. Ela teria sido construída entre 1890 e 1892 num projeto ambicioso para ligar, inicialmente, as cidades de Taubaté a Ubatuba. O objetivo da obra seria garantir um meio de transporte barato e rápido para o escoamento da produção cafeeira da época. 
Contudo, são poucos os relatos sobre a empreitada e os vestígios de sua realização. Como fontes de informação para o trabalho, o Memorial pretende utilizar atas da Câmara, publicações da imprensa na época e documentos do período. 
A busca contará ainda com a colaboração do mestrando da USP (Universidade de São Paulo), Guilherme Carra Makowsky, que há dois anos realiza pesquisas sobre a antiga ferrovia na região. A partir de documentos, livros, estudo de terrenos e entrevistas com a comunidade, Makowsky conseguiu remontar o histórico da ferrovia e identificar pontos pelos quais ela teria passado. Ele acredita que o levantamento abrirá portas para que outros sejam realizadas. “Descobri uma ferrovia que muitos nem acreditavam existir, há muitos temas para serem explorados nela”, disse. 
Search. The railroad chosen for the new research is shrouded in doubt, controversy and ignorance. She would have been built between 1890 and 1892 in an ambitious project to connect initially cities Taubaté to Ubatuba. The goal of the work would provide a means of cheap and fast transportation for the draining of coffee production of the season.
However, there are few reports about the contract and the remains of its realization. As sources of information for work, want to use the Memorial Chamber of minutes, then press publications and documents of the period.
The search will also include collaboration Master's USP (University of São Paulo), William Carra Makowsky, who two years ago conducts research on the old railroad in the region. From documents, books, study of land and interviews with the community, Makowsky managed to reassemble the history of the railroad and identify points at which it would have passed. He believes the survey will open doors for others to be performed. "I found a railroad that many did not believe exists, there are many issues to be explored in it," he said.

Descobertas. Entre as descobertas, segundo ele, estão a extensão da ferrovia construída e a localização das estações. O projeto contemplava uma ligação de 170 quilômetros. Do total, teriam sido concretizados 89 quilômetros. 
O trajeto contaria com três estações, nos bairros Boraceia e Registro e na atual Fazenda Fortaleza. O percurso escolhido para a instalação dos trilhos, segundo Makowsky, tem características que permitem a identificação. “Os trechos não tem muitas curvas e elas não podem ser fechadas.”
Discoveries. Among the findings, he said, are the extension of the railroad built and the location of stations. The project contemplated a connection of 170 kilometers. Of the total, 89 km have been achieved.
The trip count with three stations, neighborhoods of Registro and Boraceia and current Fazenda Fortaleza. The route chosen for the installation of rails, according Makowsky, has features that allow identification. "The excerpts do not have many curves and they can not be closed."

Banco. O projeto da ferrovia teria sido executado por um engenheiro inglês a pedido de comerciantes, fazendeiros e empresários da região. Para viabilizar a proposta, que teve ‘financiamento’ governamental, o grupo articulou a abertura de uma instituição financeira, o Banco Popular de Taubaté, fundado em 1889.
Para a execução da obra, foram trazidos trabalhadores estrangeiros, especialmente da Itália. O lançamento da ferrovia, em 1890, foi realizado em Ubatuba com comemorações e banquetes. Contudo, em 1892, a obra foi paralisada. O motivo teria sido o corte no financiamento público, provocado por disputas políticas. Até 1917 houveram tentativas de retomar a construção, mas sem sucesso. 
Em 1899, ‘puxado’ pelo encerramento da construção da ferrovia, o Banco Popular de Taubaté foi liquidado. Uma histórica polêmica que envolve a instituição e será alvo de pesquisa pelo Memorial é a emissão de moedas falsas, que teria sido flagrada por investigadores da época.
Bank. The railway project had been run by an English engineer at the request of traders, farmers and entrepreneurs in the region. To make the proposal, which had 'finance' government, the group articulated the opening of a financial institution, Banco Popular Taubaté, founded in 1889.
For the execution of the work, were brought foreign workers, especially from Italy. The launch of the railroad in 1890, was held in Ubatuba with celebrations and banquets. However, in 1892, the work was halted. The reason would have been cut in public funding, caused by political disputes. Until 1917 there were attempts to resume construction, but without success.
In 1899, 'pulled' by the closure of railway construction, the People's Bank of Taubaté was settled. A historical controversy surrounding the institution and will be subject to search at the Memorial issuance of coins, which would have been spotted by researchers at the time.

[Fim da Notícia]

Fazenda dos Ingleses
Bonde autopropulsado da fazenda, em 1938. Foto de Kelso Médici, publicada no site Centro Oeste.
Além dessa, existiu outra ferrovia no Litoral Norte, essa mais conhecida, e agora justificada a sua existência com a descoberta da ferrovia entre Taubaté e Ubatuba. Em Caraguá, existem fotos e até trilhos da ferrovia implantada no interior da antiga Fazenda dos Ingleses, hoje, pertencente à família Penido, atual Fazenda Serramar. A ferrovia, com 120 quilômetros de extensão, percorria o interior da fazenda e transportava toda a produção de frutas, principalmente, de banana, até um pequeno porto, que existia no bairro do Porto Novo. De lá, a produção era colocada em chatas, que transportava os produtos até os navios, que por sua vez, levavam a produção de frutas para a Inglaterra. A ferrovia, implantada na década de 20, foi desativada em 1967, quando uma tromba d’água atingiu a cidade de Caraguá. Ainda restam vestígios da pequena estrada de ferro que existiu na Fazenda dos Ingleses. A família Penido mantém um local onde podem ser vistos fotos da ferrovia.  
Sobre o material rodante, os únicos sobreviventes foram uma locomotiva Davenport e um vagão, vistos na primeira foto dessa postagem. A ferrovia era uma típica "ferrovia bananeira" do litoral, mas por ter ligação histórica com a suposta ferrovia Taubaté-Caraguatatuba, era de bitola métrica (quando todas eram em bitola estreita, de 0,60 m). Ligava o atracadouro dos barcos até a fazenda, passando pela vila dos trabalhadores (veja o mapa abaixo):
Besides this, there was another railroad in North Coast, this most famous, and now justified its existence with the discovery of the railroad between Taubaté and Ubatuba. In Caraguá, there are photos and even railroad tracks located inside the former farm of the British, now belonging to the family Penido, current Fazenda Serramar. The railway, with 120 kilometers, went inside the farm and carried throughout the production of fruits, especially banana, even a small harbor, which existed in the neighborhood of Porto Novo. From there, the production was put on barges, carrying the goods to the vessels, which in turn led to the production of fruit to England. The railroad, established in the 20s, was deactivated in 1967, when a waterspout hit the city of Caraguá. There are still traces of the little railroad that existed in the British Treasury. The family maintains a Penido where photos can be seen the railroad.
About the undercarriage, the only survivors were a locomotive and a wagon Davenport, seen in the first photo of this post. The railroad was a typical "banana railroad" of the coast, but to have historical connection with the alleged railroad Taubaté-Caraguatatuba, was meter gauge (when all were in narrow gauge, 0.60 m). Connected the mooring of boats to the farm, passing the village of workers (see map below):

Mapa esquemático feito por Kelso Médici.
Abaixo, fotos da Fazenda dos Ingleses (todas de Kelso Médici):
Below, photos of the British Treasury (all by Kelso Medici):
Estação Ferroviária da vila da Fazenda dos Ingleses.
 Casas da vila, em foto de 1994. Atualmente tudo está abandonado, em péssimo estado de conservação.
Embarcadouro, às margens do Rio Juqueriquerê, ponto inicial da ferrovia.

Um agradecimento especial ao colega ferreofã Kelso Médici, que faleceu no último dia 26, e que mesmo sem saber, ajudou nessa postagem por ter divulgado as pouquíssimas informações sobre a ferrovia da Fazenda dos Ingleses.
Special thanks to Kelso Medici, who died on the last day 26, and that even unknowingly helped in this by posting the very few to have divulged information about the railway in the Fazenda dos Ingleses.

Um comentário: